Terapia Natural

Plantas que curam 

Artigo científico sobre Aromaterapia Clínica

 

Autoras: Janine Fregapani Barbosa 

                   Magnolia A. Silva da Silva

ttp://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/CNTC/article/view/6763/4144

 

   

As plantas desenvolveram suas próprias defesas químicas a partir do seu metabolismo que apresenta uma estrutura complexa com atividade biológica bem marcante usada para sobrevivência e preservação da espécie. Esse metabolismo é responsável pela produção de sinergias de princípios ativos terapêuticos usados pela humanidade a milhares de anos. A variedade e a qualidade dessas interações químicas e biológicas produzidas pelas plantas dificilmente serão reproduzidas pelos humanos, por isso, um grande desafio para nós é a preservação e a  manutenção da biodiversidade no planeta.

 

Pesquisas indicam que o uso repetido e inadequado de antibióticos e antifúngicos é a principal causa do aumento de resistências de microrganismos. Normalmente não fazem o efeito desejado e ainda podem causar efeitos colaterais, além de contaminar a água e o solo. Por outro lado pesquisas na área de fitoterapia e aromaterapia apontam resultados bastante promissores em relação ao efeito antimicrobiano.    

 

A Awi Cosmético Natural faz seus produtos analisando a biocompatibilidade da pele com as substâncias terapêuticas produzidas pelas plantas. A proposta da marca é cuidar e tratar de forma integral das pessoas. 

Bromidrose  

Pés e Virilhas


O mau odor nos pés e virilha é conhecido como Bromidrose. Motivadas pelo suor constante e também pela falta de higienização nessas áreas, as bactérias encontram neles um ótimo lugar para se alimentar e se multiplicar. O alimento predileto dessas bactérias são os restos de pele morta acumulados nos pés e o próprio suor. A causa do terrível mau cheiro se deve aos compostos químicos que são produzidos à medida que as bactérias crescem. O mau cheiro causa muito incômodo e bastante constrangimento para quem o tem, podendo ser percebido de longe. Os adolescentes são os que mais sofrem com ele, pois seus hormônios estão em alta, o que aumenta bastante a transpiração.

Tinea pedis  

Frieira ou Pé de atleta 

São infecções na pele causadas pelos Dermatófitos, fungos, que incluem três gêneros: Microsporum, Trichophyton e Epidermophyton e com freqüência observa-se associados com Candida sp e bactérias. Os sintomas são descamação nos espaços e pregas interdigitais com freqüente fissuras entre os dedos, ardor ou prurido. A contaminação é por meio de locais úmidos e quentes, calçados e meias infectadas entre outros.  

Onicomicose  

Micose de unha

A contaminação é parecida com a da frieira. Mas, além dos fungos presentes em saunas e piscinas, a contaminação pode acontecer em salões de beleza, por fungos alojados em alicates e tesouras mal higienizados. A abundância de alimento estimula os fungos a instalar-se por baixo da unha que, enfraquecida, descama, muda de cor e pode até cair.

Olho-de-peixe 

O HPV, vírus causador do olho-de-peixe, entra no organismo através de feridas na pele. A transmissão pode ser indireta, por objetos infectados, ou por contato direto. O vírus faz crescer uma verruga interna (da sola para dentro da pele).

Bicho-de-pé 

O “bicho” é, na verdade, uma pulga que vive no solo de pastos e chiqueiros e, de tempos em tempos, procura um hospedeiro para colocar seus ovos. A pulguinha grávida penetra a pele da vítima e alimenta-se de sangue enquanto desova. Ela passa cerca de dez dias por ali. Nesse período, põe de 150 a 200 ovos. Depois de desovar, a pulga mãe morre. Para evitar infecções, o ideal é que ela seja retirada por completo com uma agulha esterilizada, antes de morrer.

Bicho geográfico 

Parasitas como o Ancylostoma brasiliense desenvolve-se dentro de cães e gatos. Os ovos do verme pegam carona nas fezes dos bichinhos para chegar ao solo e entrar em contato com o ser humano. A larva perfura a camada mais superficial da pele, mas não consegue penetrar mais fundo para colocar seus ovos. Por isso, circula desordenadamente, deixando rastro e causando coceira.

 

              Linha Fitoterápica  
                  Bálsamo Verde 
Recomendações para evitar e tratar brotoejas, micoses, frieiras e mau odor 

  • Secar bem a pele.

  • Trocar diariamente os calçados.

  • Usar meias de algodão para melhorar a circulação.

  • Não usar calçados que apertem as unhas.

  • Não use objetos de higiene pessoal de outras pessoas, sem prévia esterilização.

  • Evitar o uso de talco nos calçados, pois o acumulo facilita a proliferação de bactérias e fungos patogênicos.    

  • O desodorante da linha Bálsamo Verde é usado direto na pele e nos calçados para tratar ou prevenir esses sintomas, além de relaxar os pés cansados. 

  • O fortalecedor de unhas da linha Bálsamo Verde trata e evita infecções tanto leve quanto severa de micose.